[ad_1]

Grandes experiências para todas as idades. É desse jeito que, há 36 anos, o Portobello Resort & Safári, em Mangaratiba (Rio de Janeiro), cuida de cada pessoa que se hospeda. Quem passa pelo hotel, fundado por Carlos Jardim Borges, volta para casa com gostinho de “quero mais”. Durante a estadia, os hóspedes curtem piscina, se deliciam com a gastronomia dos principais restaurantes,  se divertem no boliche, aproveitam o Safári, com 500 animais de faunas brasileira, europeia e africana; pegam praia, etc.

Uma das visitantes, desse paraíso da Costa Verde, é a Sra. Anna Alexandrina. Aos 85, frequenta o Portobello Resort desde 1989. Com ótimas lembranças do lugar que marcou a sua vida, em todos os aspectos, ela menciona que é onde, atualmente, é onde encontra segurança, pois, diariamente, a violência aumenta no Rio de Janeiro e quando viaja para Portobello, sente em casa devido ao tratamento que lhe é dado, por parte da equipe, desde à recepção, aos gerentes e donos. “Todos, sempre, dispostos a me ajudarem em tudo o que preciso, quando vou. Extremamente carinhosos e atenciosos! Sem palavras para descrever tanta gratidão! Em uma escala de zero a dez, se possível, eu daria onze. Só faltam me carregar no colo!”.

Mas não é somente dentro do hotel, que a Sra Anna retribui os cuidados e o atendimento. Fora, ela o recomenda, além de compartilhar as experiências que viveu por lá. “Faço propaganda, por meio dos meus conhecimentos, e falo que é um espaço repleto de alegrias, principalmente para aqueles, com filhos pequenos. Afinal, o lazer infantil é maravilhoso! Além do mais, para os adultos, música ao vivo, festas, eventos… recomendo!”.

Quais recordações guarda de Portobello?

Inúmeras! A paisagem é magnífica, o mar e a Mata Atlântica, atrás, e as canções, do tempo que conheço. Eu, idosa, tenho dois parafusos na perna e, somente, no Portobello, posso dançar, sem medo. Pergunte a qualquer um dos músicos!

Atividades preferidas. “Conversar com a equipe. Aprendo o que nas escolas não ensinam e os jovens daqui, desconhecem. Estive com um encarregado da limpeza, da área pública, que me explicou a respeito dos portos, de onde vem os navios cargueiros da China, para comprar cobre e ferro. Nunca soube disso e aqui, ninguém, creio, é ciente. Amo, também, ir à capelinha assistir à missa. Agora, sou amiga do padre. Ah, o Portobello já me proporcionou uma gentileza em meu aniversário, 27 de fevereiro. A gerência convidou o padre e os coroinhas para almoçarem comigo. Inesquecível!”, finaliza.

[ad_2]

Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *