[ad_1]

Em primeiro lugar, o que é a depressão?

A depressão pode ser definida como um transtorno mental que afeta o modo como uma pessoa se sente, pensa e age. Ela pode causar sintomas como tristeza persistente, perda de interesse em atividades que costumavam ser agradáveis, falta de energia, dificuldade em concentração, alterações do sono e apetite, e sentimentos de inutilidade e culpa. A depressão pode ser leve, moderada ou grave e pode afetar as pessoas de diferentes maneiras e em diferentes momentos de suas vidas.

É importante pontuar que a depressão pode ser desencadeada por uma variedade de fatores, incluindo eventos estressantes, traumas, alterações hormonais, condições médicas subjacentes e até mesmo fatores genéticos. Ela também pode ocorrer sem uma causa aparente.

Apesar disso, a depressão é um problema de saúde mental comum e bastante tratável. Os tratamentos geralmente incluem medicamentos, terapia e até outras metodologias que serão abordadas nesse texto. Além disso, ele também pode incluir mudanças no estilo de vida, como exercícios regulares, uma dieta saudável e uma boa qualidade do sono.

Como diagnosticar a depressão?

O diagnóstico de depressão geralmente é feito por um profissional de saúde mental, como um psiquiatra ou psicólogo. Durante uma avaliação, o profissional irá perguntar sobre seus sintomas, histórico médico e histórico familiar, e avaliar seu estado emocional e funcionamento diário. Este profissional também pode realizar exames físicos para descartar outras condições médicas que podem causar sintomas semelhantes à depressão.

Para ser diagnosticada com depressão, uma pessoa geralmente precisa ter sintomas que duram pelo menos duas semanas. Além disso, os sintomas devem ser suficientemente graves para interferir com o funcionamento diário e a capacidade de realizar atividades normais, ou seja, na funcionalidade e adaptabilidade da pessoa.

Existem vários tipos de transtornos depressivos, incluindo a depressão maior, o transtorno distimórico, o transtorno afetivo sazonal e transtorno depressivo pós-parto, entre outros. Cada tipo tem seus próprios critérios de diagnóstico e pode requerer um tratamento diferente. É importante que o diagnóstico seja feito por um profissional de saúde mental qualificado para garantir que a pessoa receba o tratamento adequado.

No caso, o mais adequado é exatamente buscar por um processo de Avaliação Neuropsicológica junto a um profissional da psicologia experiente e de confiança.

Quais os sintomas da depressão?

Os principais sintomas da depressão podem incluir alguns já citados e outros, sendo os mais comuns os seguintes:

– Tristeza persistente ou sentimentos de vazio;
– Perda de interesse ou prazer em atividades que costumavam ser agradáveis;
– Falta de energia ou cansaço excessivo;
– Dificuldade em concentrar-se ou tomar decisões;
– Alterações no sono, como insônia ou dormir demais;
– Alterações no apetite, com perda ou aumento de peso;
– Sentimentos de inutilidade ou culpa;
– Pensamentos de morte ou suicídio;
– Dificuldade em controlar os sintomas de ansiedade ou irritabilidade;

É importante lembrar que estes sintomas podem ser causados ​​por outras condições médicas ou psicológicas, e que só um profissional de saúde mental qualificado pode fazer um diagnóstico preciso. Se você estiver experimentando alguns destes sintomas, é importante procurar ajuda de um profissional de saúde mental nos moldes indicados acima.

Quais famosos admitiram ter que tratar a depressão?

Finalmente, sabendo que a depressão é um transtorno comum, é interessante verificar que nos últimos anos, diversas pessoas públicas brasileiras admitiram publicamente ter sofrido ou estar sofrendo de depressão e mesmo ter lutado contra essa condição. Alguns exemplos mias famosos incluem:

Anitta: a cantora e atriz falou sobre sua luta contra a depressão em entrevistas e em sua autobiografia.

Ludmilla: a cantora também falou sobre sua luta contra a depressão em entrevistas e em sua música “Cheguei pra te salvar”, que aborda o tema da depressão.

Felipe Neto: o youtuber e empresário falou sobre sua luta contra a depressão em vídeos em seu canal no YouTube e em entrevistas.

Bruna Marquezine: a atriz falou sobre sua luta contra a depressão em entrevistas e em suas redes sociais.

E esses são apenas alguns exemplos. É importante lembrar que muitas outras pessoas, incluindo outros famosos, podem também ter lutado contra a depressão em 2021, mas não necessariamente compartilharam essa informação publicamente, uma vez que ainda se trata de um tema difícil para muitas pessoas.

A depressão no Brasil

A depressão é um problema de saúde mental comum no Brasil e em todo o mundo. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão é a segunda principal causa de carga de doença no mundo e é esperado que se torne a principal causa até 2030. No Brasil, a prevalência da depressão é estimada em aproximadamente 6,8% da população adulta.

Como sabemos, a depressão pode ter um impacto significativo na qualidade de vida das pessoas e pode levar a problemas de saúde física, como doenças cardíacas, diabetes e doenças mentais adicionais. É importante que as pessoas com depressão recebam o tratamento adequado para garantir que possam levar uma vida saudável e produtiva.

De que forma é possível combater a depressão?

Existem várias maneiras de combater a depressão. O tratamento médico/psicológico geralmente inclui medicamentos, terapia e metodologias como as de neuromodulação, que unem a neurociência, a psicologia e a tecnologia para combater os sintomas dos transtornos mentais. Mas o tratamento também pode incluir mudanças no estilo de vida. Algumas dicas para combater a depressão incluem:

– Procure ajuda profissional: é importante procurar ajuda de um profissional de saúde mental qualificado para obter o tratamento adequado.

– Faça exercícios regularmente: o exercício pode ajudar a melhorar o humor e aumentar os níveis de energia. Tente incluir atividades físicas que você goste, como caminhar, correr ou dançar.

– Mantenha uma dieta saudável: a alimentação saudável pode ajudar a melhorar o humor e aumentar os níveis de energia. Tente incluir alimentos ricos em nutrientes, como frutas, vegetais, grãos integrais e proteínas magras.

– Obtenha uma boa qualidade do sono: o sono é importante para a saúde física e mental. Tente estabelecer uma rotina de sono consistente e evite coisas que possam afetar a qualidade do sono, como o uso excessivo de dispositivos eletrônicos antes de dormir. Busque dormir o mínimo de 8h por noite e tirar um cochilo de no máximo 40 minutos à tarde.

– Conecte-se com outras pessoas: o apoio social pode ser muito importante para as pessoas que sofrem de depressão. Tente se conectar com amigos e familiares e procure grupos de apoio ou atividades comunitárias que possam ajudá-lo a se sentir mais conectado.

– Pratique técnicas de relaxamento: as técnicas de relaxamento, como a meditação, a respiração profunda e o yoga, podem ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade e melhorar o humor.

– Adote hábitos saudáveis: alguns hábitos, como fumar ou consumir álcool em excesso, podem agravar a depressão. Tente adotar hábitos saudáveis, como evitar o tabagismo e beber com moderação, se for o caso.

Por fim, é importante lembrar que a depressão é uma doença comum e não tem nada de vergonhoso. Muitas pessoas, incluindo famosos, como vimos, podem sofrer de depressão e procurar tratamento para lidar com essa condição. Se você está se sentindo deprimido ou precisa de ajuda, procure um profissional de saúde mental qualificado para obter orientação e apoio.

 

 

Patrícia Zocchi

Psicóloga Clínica com 20 anos de experiência, formação em Terapia Cognitivo-Comportamental, Hipnose Ericksoniana e Psicofisiologia. Especialização em Psicopedagogia (UCB) e Neuropsicologia com foco em Reabilitação (USP). Membro da Associação Brasileira de Biofeedback (ABBIO). Pós-graduada em Neurociências (FIDE-PE). Professora convidada do curso de Pós-Graduação em Neuropsicologia do Hospital das Clínicas (HC-USP).

Certificado de formação em Neurofeedback pelo sistema Brain-Trainer International (BTI), promovendo cursos de certificação internacional em Neurofeedback e supervisões em parceria com a instituição. Co-responsável e sócia da PotencialMente – Academia Cerebral, empresa que há 10 anos atende crianças, adolescentes, adultos e idosos com metodologias de Neuromodulação como o Biofeedback e o Neurofeedback.

[ad_2]

Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *